ABC da EaD - A Educação a Distância Hoje

de João Mattar e Carmen Maia.

Estou lendo esse livro e confesso, mesmo sendo um adepto do Ensino a Distância, tanto como professor quanto como aluno, estou quebrando paradigmas com essa obra.

Comecei a refletir sobre a "essencial presença" no processo educacional e como essa presença pode acontecer sem o aspécto físico. E consequentemente o quanto a educação tradicional pode, apesar da presença física, contemplar a ausência interativa.

Um livro que coloca a EaD de forma equilibrada, sem ser extremista, mas realista, com suas eficiências e deficiências. Uma grande tendência para a educação e que é marca carimbada deste blog.

Editora: Prentice Hall (pearson)

A Barbárie e a cultura


Ao ler um texto de Michel Maffesoli me deparei com a seguinte frase: “Entretanto, se soubermos aplicar a lucidez fora de qualquer atitude de julgamento, o que é nossa única exigência, saberemos reconhecer que, parafraseando Walter Benjamin, ' não existe nenhum registro de cultura que não seja também registro de barbárie”.

Na mesma hora me veio na mente o limite do homem e do primata do início do filme 2001 - Uma Odisséia no Espaço do diretor Stanley Kubrick.

A parte da qual eu me refiro do filme 2001 - Uma Odisséia no Espaço do diretor Stanley Kubrick é chamado por ele de Dawn Of Man (a aurora do homem). Quem quiser assistir aqui está:




Vale a pena ver, pois remete muito sobre o que é cultura... Mas ainda pergunto: O que lembra a vocês essa frase de Walter Benjamin? É para refletir...

E quem quiser refletir mais ainda, basta visitar o site: http://www.kubrick2001.com/ (é de mais!!!)

Mike Stern Live


Nesse natal ganhei um gande presente de meu irmão Lú. Um DVD gravado em Paris, em 2004, de Jazz/Fusion. É o Mike Stern Live com Richard Bona (baixo), Dennis Chambers (bateria) e Bob Franceschini.

Aqui Stern mostra que sua evolução como músico e como instrumentista, pois é, a meu ver o instrumentista é o lado virtuose performático e de improvisação. Já o lado músico, é o lado compositor e que compete também o feeling. Esses dois lados são difíceis de ser separados e existe uma interação entre eles. Pensei em destacar um dos músicos mas não consegui separar um que se destacou, pois todos são grandes músicos. Então, chega de tentar transcrever o que não pode ser descrito - a música!

Vale a pena!

Educação na Grécia antiga

Segundo Werner Jaeger, o "processo de educação em sua forma verdadeira, a forma natural e genuinamente humana" na Grécia antiga era a Paidéia.

Essa palavra significa a cultura construída a partir da educação. Pois para os cidadãos gregos, essa educação os dignificavam tanto quanto aos seus governantes. A Paidéia objetivava, aos gregos, por meio de ethos (hábitos), o praticar da liberdade e da nobreza, deixada de geração a geração.

A Paidéia, incluía a formação com: a gymnastiké, que focalizava a dimensão física e atlética do ser humano; e a mousiké, que contemplava a mente ou espírito. A mousiké eram os espíritos que eram responsáveis pela inspiração que se materializavam nas práticas como a música, a escrita e a dança.

Conta-se a história de que "um pedagogo - um escravo, na época - conduzia o jovem, com sua lanterna ilumina(dor)a, até aos centros ou assembléias, onde ocorriam as discussões que envolviam pensamentos críticos, criativos, resgates de cultura, valorização da experiência dos anciãos etc. Supõe-se que, no processo sócio-histórico, esse mesmo pedagogo libertou-se, talvez de tanto dialogar nos acompanhamentos do jovem até as assembléias, tornando-se um personagem da paidéia, e seu consuma(dor)." (http://pt.wikipedia.org/wiki/Paid%C3%A9ia)

Podemos então entender que a educação grega estava diretamente ligada a filosofia. Pois, os sofistas eram professores intinerandes. Platão tinha sua famosa Academia, onde Aristóteles estudara. Entretanto, com a República, Platão expõe sua idéia de educação norteada através da filosofia, reforçando a ligação da filosofia com a educação na Grécia antiga.

Então, para que se possa entender melhor a educação dos dias de hoje, a meu ver, seria interessante podermos vislumbrar a origem da educação ocidental. A grécia, como o berço de nossa civilização, ocupa lugar de destaque, e certamente ainda podemos aprender muito com os gregos antigos.





Sejam bem vindos!

Olá, aqui começa o blog!
Com esse blog pretendo colocar minhas idéias e assim aprimorá-las com a interação de vocês!
Então vamos lá!

Um grande abraço

Celso Gomes