O chat muito além do bat-papo

Continuando no intento de esgarçar o assunto chat na EaD, me questiono: será o chat apenas uma ferramenta para bate-papo informal, para aulas expositivas ou de tira-dúvidas?

Pois, se assim for, a meu ver, o chat está fadado a ser apenas uma simples transposição da práxis do ensino presencial para o virtual. E que se diga de passagem, com muitas restrições. Digo restrições, pois, certamente essas implicam na não existência de fatores de nuances da voz como a entonação, velocidade e variações de timbre. Bem como a não presença de gesticulações e expressões faciais, que presumem as nuances corpóreas, ou seja, elementos tônico-afetivos. Lembrando que o corpo, junto à voz, também fala.

Tudo bem que existem nuances próprias da comunicação nos chats, como emotions e simplificações de palavras. Mas como você próprio disse, existe uma “pequena demora por causa do servidor”. Contudo, eu completaria: com a existência de pessoas que digitam com maior lentidão que outras; a confusão, que muitos reclamam, devido a não linearidade da conversa de bate papo em grupo, onde um atravessa a conversa do outro e etc.

Essas e outras queixas tendem a resignar as atividades em aplicativos de IRC (Internet Relay Chat) a apenas ao bate-papo informal, tira-dúvidas e aulas expositivas. Assim, temo que a EaD não seja vista como um nova modalidade de educação, mas sim, como uma forma alternativa que transpõe, de forma mais econômica, a educação tradicional expositiva.

Será mesmo que o chat é uma ferramenta que raramente favorece a discussão e a participação produtivas, com contribuições pouco profundas?

E o caráter processual, das atividades em grupo de chat, dentro da aprendizagem dos sujeitos freqüentadores dos AVA?

E as atividades de chat, na EaD, realizadas em grupos?

O professor João Mattar, como citado em seu livro ABC da EaD, tem realizado atividades produtivas em salas de chat com seus alunos, além de sua pesquisa sobre as potencialidades dessas atividades no Second Life. Mas quais são os ganhos e dificuldades dessas atividades síncronas em uma EaD que prima pelas assíncronas?

Vale a pena pesquisar, pois esse é um assunto instigante!

Aguardem novas colocações...