A História da Multimídia (parte 1)

Para se entender o que é multimídia, vejo a importância que a visão histórica das artes pode nos oferecer frente à construção cognitiva desse recurso tão importante na EaD. Por isso vou fazer alguns posts que visão o aprofundamento sobre a história das chamadas novas mídias e que estão intimamente ligadas às chamadas multimídias.

Para pessoas que, como eu, se interessam nas possibilidades de entender e aplicar tais mídias na educação de uma forma contextualizada, principalmente utilizando substancialmente suas potencialidades em processos de ensino e aprendizagem, estudar o percurso histórico feito por essas “novas” mídias se mostra como um bom começo para o pensar e repensar sobre como produzir, analisar e aplicar tais materiais. Acho que pessoas interessadas em mídias digitais e na arte-tecnologia poderão aproveitar esses posts também, ou pelo menos ter um ponto de partida para a crítica.

Bom, para iniciar vamos abordar o foco na temporalidade e que muitos artistas começaram a se debruçar no intento de trazer tal parâmetro (que se mostra originalmente constituinte das obras musicais, da dança e outras performances artísticas) para outras formas de expressão artística que se focalizavam na representação espacial fundamentalmente.

A busca da visualização ou representação do tempo por artistas foi potencializada com a revolução feita pela fotografia e sua evolução tecnológica. Podemos observar isso nas fotografias feitas por Muybridge em 1878 no sentido de representar a velocidade de um cavalo e seu cavaleiro. Essas fotos foram produzidas com o intuito de estudar o movimento animal e que estão incluídos nos onze volumes que visavam por estudos científicos de locomoção animal (Studies in Animal Locomotion de 1888), como vemos abaixo:



Contudo se colocarmos essas fotos em sequência de aparecimento, uma após a outra, no mesmo local pode-se observar o movimento em forma de animação em seu princípio:

Esses estudos foram logo utilizados por artistas para o entendimento por sobre a movimentação humana e animal. Inspiraram obras como:

Funeral Of the Anarchist Galli (1911) de Carlo Carrà:

Dinamism of a Dog on a Leash, 1912 de Giacomo Balla:


Dynamism of a Cyclist - óleo sobre tela, 1913, por Umberto Boccioni


Contudo a obra mais polêmica foi a Nude Descending a Staircase, No. 2 (1912) de Marcel Duchamp, onde esse artista iniciou suas intenções em retratar a quarta dimensão – o tempo.


Observa-se que Duchamp inspirou-se, para fazer Nude Descending a Staircase No. 2, diretamente em Muybridge na sua Ascending and Descending Stairs (1884-5) :


Então, pode-se observar que Duchamp se mostra como um importante nome para o desenvolvimento de formas de expressão artística na direção da multimídia. Assim, pretendo abordar esse artista em outros posts, mas se você quiser ampliar sua visão da obra e vida desse revolucionário das artes, sugiro a visita ao endereço: http://www.understandingduchamp.com/