DVD - Edgar Morin

Gravado por Edgard de Assis Carvalho, professor titular de Antropologia da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, pós- doutor pela École des Hautes Études en Sciences Sociales (França) e Coordenador do Núcleo de Estudos da Complexidade – COMPLEXUS – vinculado à Faculdade e ao Programa de pós- graduação em Ciências Sociais da PUC- SP, esse DVD apresenta os principais conceitos presentes no pensamento de Edgar Morin, um dos maiores intelectuais da atualidade. 

Pertencente a Coleção Grandes Educadores da ATTA Mídia e Educação,  nesse material podemos tomar contato com o pensamento de um grande crítico da fragmentação do conhecimento. Ideal para quem quer se direcionar ao entender o pensamento complexo. Algo que visa por uma reforma do pensamento por meio do ensino transdisciplinar, capaz de formar cidadãos planetários, solidários e éticos, aptos a enfrentar os desafios dos tempos atuais.

Como aperitivo, aqui está o Trailer do DVD:



Vale a pena ter e assistir sempre, pois como diz o próprio Edgar Morin: Conhecimento do conhecimento é necessidade primeira para armar cada mente no combate vital rumo à lucidez!

Um pequeno panorama biográfico de Henri Wallon

Estudando um pouco a teoria de Henri Wallon, achei interessante fazer um mapa mental de sua trajetória. Algo que pode ajudar a entender o seu pensamento.

Para melhor visualizar o mapa mental abaixo, clique sobre ele:
 

Bibliotecas virtuais


Relação de sites de bibliotecas virtuais, nacionais sobre ciência, tecnologia e biblioteconomia.

Ferramentas da Web 2.0 na Educação

Tendo em vista que a internet, com o efeito Web 2.0, passa a ser encarada como uma plataforma para a atuação, não só passiva, mas ativa dos usuários da rede, há de se pensar em novas possibilidades educacionais.

Assim, entendendo que, nesse contexto, se tem por uma facilidade em se criar e/ou remixar conteúdos, há de se pensar inevitavelmente em oportunidades de enriquecimento de processos de ensino e aprendizagem de forma contextualizada com a realidade da chamada sociedade em rede.


Então, uma interessante opção de aplicação de recursos tecnológicos em contextos educacionais é o refletir sobre propostas como as presentes no “Manual de ferramentas da Web 2.0 para professores”, lançado pelo Ministério de Educação de Portugal e editado em parceria com a Direção-Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular do Encontro sobre Web 2.0.


Manual de ferramentas da Web 2.0 para professores

EAD na era líquida e móvel

Lendo um post "Educação a distância na era da mobilidade" do site Universo EaD do Senac São Paulo comecei a pensar em como a ubiquidade e a pervasividade estão eminentemente à nossa porta. Tendo em vista que a Educação a Distância já é uma prática quase consolidada no Brasil, tanto nos cursos de educação formal, quanto nos profissionais. Embaso essa impressão segundo os dados divulgado no site supra citado onde no Brasil, 640 organizações – entre universidades públicas e privadas, além de empresas – têm iniciativas regulares de EaD implementadas.

E o que mais me chama a atenção é a previsão de que em 2015 o mercado norte-americano de serviços e soluções educacionais móveis deverá crescer mais de 20% ao ano. Dentre tais soluções estão presentes nos diversos dispositivos utilizados como smartphones, PDAs, tocadores como iPods e MP3 Players em geral, além de netbooks, consoles de games que oferecem acesso à Web e os que permitem o uso de cartões de memória ou leitores de discos ópticos. Toda essa gama de possibilidades me faz pensar que os educadores devem se ligar (literalmente), tecno e metodológicamente o quanto antes, pois os alunos se não o estão no momento, já já estarão.

Assim vale a atenção às práticas educacionais nesse liquefeito e sempre  autopoiético contexto, pois essas deves ser constantemente repensadas. Tal intento reflexivo se aninha ao que Santaella, no artigo A ecologia pluralista das midias locativas, entende que quando uma interface móvel sabe onde se encontra no espaço físico, ela automaticamente adquire um significado diferente de dispositivos comunicacionais fixos, pois uma de suas funções principais se torna a presença pervasiva e ubíqua em espaços físicos. A capacidade de conexão com a Internet adicionada aos sistemas de posicionamento permite que os usuários tenham uma relação única tanto com o espaço físico, quanto com a internet (Souza e Silva ibid.: 47). 

iTunes U - Apple e Educação

Lendo o post do Caudalonga’s Blog que enfoca a ação da Apple na disponibilização de conteúdo universitário gratuito com os iPhones e IPods. São mais de 350 mil arquivos e que já atingiu mais de 300 milhões de downloads, o que se mostra como uma tendência irreversível. 
Quem tiver visão de futuro, ou melhor, de presente, deve se atentar para ações como essa, pois já estamos vivendo cada vez mais em nossa realidade, aqui no Brasil em constante crescimento,  a cultura convergência. Vide as ações das operadoras de celular em oferecer acesso à internet em aparelhos tipo smartphones simplificados e o plano nacional de banda larga.
 Destaco alguns exemplos similares a este e que são:
O do governo indiano que apresentou recentemente um tablet que será usado por estudantes a partir do ano que vem. O aparelho portátil, semelhante ao iPad, da Apple, custará em torno de US$ 35
O do YouTube EDU  onde se pode assistir a aulas e palestras de mais de 300 colégios e universidades americanas de graça! E o melhor: com possibilidade de Closed Caption
 O da Faculdade de Medicina da Universidade de Stanford que adotou o iPad como ferramenta educacional
 Vejo que os alunos, principalmente os nativos digitais (0-19 anos) e os imigrantes híbridos (20-29 anos) já vivem isso de forma natural, porém vejo a necessidade de ações para incluir os chamados imigrantes digitais (de 30 anos em diante), pois são eles as principais barreiras para tal convergência, já que os atuais professores estão, em sua maioria, dentro desse perfil.
 Contudo, o oferecimento de formação continuada e contextualizada com tais recursos se mostra algo cada vez mais urgente.

Efeito Cauda Longa

Estudando o efeito "Cauda Longa" realizei uma síntese em forma de mapa mental de pontos trabalhados no livro de Chris Anderson. 

Contudo, vejo muitos pontos de sincronia e complementaridade com o livro de Lucia Santaella "Culturas e Artes do Pós-Humano: da Cultura das Mídias à Cibercultura".

Tais sincronias e complementaridade se baseiam, principalmente, na passagem da cultura de massas para a cultura das mídias o que fertilizou gradativamente o contexto sociocultural para o surgimento da cultura digital.